Mercado da construção vê melhora.

redeconstrucerto

Mercado da construção vê melhora.

Faturamento total deflacionado das vendas dos materiais de construção em março apresentou aumento de 12,2% se comparado a fevereiro deste ano.

Números do setor preveem resultados melhores até o final deste ano, O terceiro mês do ano mostrou certa recuperação do setor de materiais de construção se comparado a fevereiro, de acordo com levantamento feito pela Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção). O faturamento total deflacionado das vendas dos materiais de construção em março apresentou aumento de 12,2% se comparado a fevereiro deste ano. Porém, em relação a março do ano passado, houve queda de 6,5%, enquanto o resultado acumulado dos últimos 12 meses caiu 9,1%.

Esses números do levantamento são compatíveis com a progressiva desaceleração das quedas, que é percebida desde a segunda metade de 2016. As projeções da associação para o ano de 2017, baseada nos números do setor, apontam para estabilidade. Seguindo a tendência de melhora, março apresentou aumento do faturamento deflacionado das vendas dos materiais de base (12,8%) e de acabamento (12%), em relação ao mês anterior. Já o comparativo ao mesmo mês de 2016 o faturamento das vendas dos materiais de base e de acabamento apresentou queda de 4,3% e 8,8%, respectivamente.

Na avaliação da associação, mesmo com o resultado positivo na comparação entre março e fevereiro deste ano, o mercado continua retraído para a indústria de materiais. “O comércio melhorou em março, mas boa parte da explicação está no maior número de dias úteis nesse mês. Fatores como juros alto, dificuldade de crédito, desemprego em alta e incertezas políticas continuam afetando negativamente o setor”, ressaltou o presidente da associação, Walter Cover, em nota enviada para a imprensa.

Para a Abramat, o mês de abril, com menos dias uteis e com a possibilidade de uma greve geral em todo o País, deverá apresentar nova queda nas vendas da indústria. “Aguardamos novas medidas e rapidez na implementação de medidas já anunciadas para a construção, para podermos pensar numa reversão dos números negativos nesses primeiros meses do ano”, disse Cover.
EMPREGOS.

Ainda de acordo com o levantamento da Abramat, em março deste ano o nível de emprego na indústria de materiais de construção mostrou retração de 5,9% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em relação ao mês de fevereiro de 2017, houve leve crescimento de 0,1%. A variação acumulada de 12 meses mostrou queda de 8,5%.